segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Minha Atual Campanha de Old Dragon – Ambientação de Thunder Rift e Relato da Primeira Sessão – Parte I

Continuando com os posts sobre a minha ambientação de campanha de Thunder Rift, hoje pretendo falar sobre a primeira parte da primeira sessão de jogo. Já jogamos a terceira sessão, mas aos poucos vou atualizando a campanha aqui no blog.

A aventura começou em Melinir, com os personagens convocados a se encontrar com um membro de uma misteriosa organização, conhecida como o Conselho das Sombras (ou pelo menos é assim denominada). Todos os personagens tinham uma dívida para quitar com essa organização, e assim se dirigiram até à Estalagem do Bode Sarcástico (esse nome vem mesmo do livro de Thunder Rift, não fui eu que inventei!) na cidade de Melinir. Na primeira sessão eram quatro personagens: um Clérigo de Halav, o Rei Vermelho, um elfo ladrão e dois homens de armas. Greldon, Claus, Goeteus e Armodonte, respectivamente. Cada um tinha seus motivos para estar devendo algo para a organização (deixei isso em aberto, para que os próprios jogadores fossem explicando e desenvolvendo isso com o passar das sessões).
Goeteus trabalhava desde jovem para o Conselho e o que os outros personagens sabiam, não passava de rumores e comentários do que ouviam por aí: algumas pessoas diziam que a organização era criminosa, outros diziam que se tratavam de vigias dos ermos, protegendo as pessoas de ameaças exteriores; enquanto alguns afirmavam se tratar de uma mera associação de exploradores de ruínas antigas.

Independente disso, os personagens encontraram um estranho sujeito na estalagem; este lhes disse que deveriam se dirigir até os Pântanos Negros, e lá encontrariam o Capitão Éomer, o sujeito que lhes daria as instruções sobre o que deveriam fazer exatamente. Com passagens de navio compradas, o grupo viajou por alguns dias, até chegar ao acampamento do líder da missão. Neste meio tempo, foram se conhecendo melhor e interagindo entre si.

Para resumir ao leitor: no acampamento encontraram o capitão Éomer, um elfo que portava um espada de lâmina completamente enegrecida (o que de acordo com Goeteus significava que ele pertencia a uma patente superior; ou seja, somente oficiais e agentes de alta hierarquia portavam armas desse tipo). Éomer lhes disse que há muito tempo vinha pesquisando sobre as ruínas de um antigo forte militar, localizado na imensidão dos pântanos, as ruínas do Castelo de Kraal. Éomer pediu que eles recuperassem três objetos em específico: um conjunto de livros pertencente ao último comandante do Forte; uma orbe e um objeto que parecia ser uma espécie de cetro.
Éomer disse que se conseguissem recuperar todos os artefatos, ótimo; senão, que retornassem com pelo menos um deles. Assim o grupo partiu, com um guia chamado Zig, membro do conselho (todos utilizavam o mesmo tipo de vestimenta, mantos pretos com detalhes e desenhos em dourado). Partiram e depois de alguns dias de viagem chegaram ao forte, ou o que sobrou dele.........

Thiago Dungeon Master

2 comentários:

  1. Pow, ja joguei isto tudo, mas mesmo assim quero ler o resto ;-_)

    ResponderExcluir
  2. Assim que der vou colocando as próximas partes!

    ResponderExcluir